HENRI MATISSE.











Henri Matisse (COMO O ADOECIMENTO INFLUENCIOU SUA CARREIRA)

   Henri Emile Bernoit Matisse é conhecido pela simplicidade e exuberância de cores em suas pinturas. Nasceu no norte da França, em 1869, filho de um farmacêutico e comerciante de grãos, que sonhava em tornar o filho um grande advogado. Correspondendo aos sonhos do pai, chegou a formar-se em direito, mas nunca exerceu a profissão, pois achava a carreira jurídica entediante. Provavelmente, herdou o amor pela arte de sua mãe, que era pintora de porcelanas. Esta iria introduzir o filho no mundo das artes de forma nâo intencional, quando estimulou o jovem Matisse a pintar, para afásta-lo do ócio, durante o período de convalescença de uma apendicite.
   As pinturas de Matisse e seus colegas foram duramente criticadas por seus traços expressivos e cores intensas, sendo chamados de "fauves" (bestas selvagens). Surgiria então o fauvismo, movimento sem pretenções políticas ou críticas, com temas leves e alegres. Os fauvistas faziam uso das cores puras, tal como estão no tubo de tinta. O artista não as tornava mais suaves nem criava gradação de tons. Tal movimento é responsável pelo desenvolvimento do gosto pelas cores puras, que atualmente estão presentes em muitos objetos e peças de nossos vestuários.

  
Para compreendermos a obra de Matisse, temos que saber que em suas pinturas as coisas representadas são menos importantes do que a maneira de representá-las. ("Quero que minha arte seja como uma boa poltrona em que se descansa o corpo cansado").


   Provavelmente Matisse seguiu o exemplo de seu amigo Renoir, que apesar das graves limitações físicas causadas por uma doença reumatológica, continuou trabalhando até os últimos dias de sua vida. Conta a história que, certa vez, ao observar as dores que Renoir sentia em suas articulações ao pintar, Matisse questinou porque o amigo continuava a trabalhar, no que o mais velho respondeu "A dor passa, mas a beleza permanece". Realmente, a vasta obra de Renoir permanece até os dias de hoje e pode ser contemplada em vários museus ao redor do mundo.

REFERÊNCIAS
Coleção Folha Grandes Mestres da Pintura, vol. 8.
COUTINHO, F. A Arte de Recortar Papéis: Matisse e a Tristeza do Rei.

Comentários

  1. Ganhou mais uma seguidora! Adorei seu blog!Bjs. :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Dayana, adorei ter você aqui, fique a vontade e se quiser pode mandar dicas de postagens.
      Beijos!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminismo: causas e características

Raça e Progresso - Franz Boas

Arte e Romantismo na Revolução Industrial