Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012

ARTE: Um olhar sobre o significado

ARTE: Um olhar sobre seu significado - parte A A historicidade do homem sempre esteve relacionada com a arte, a ponto de seu ensino-aprendizagem participar das normas e valores estabelecidos nos ambientes culturais da produção artística de todos os tempos.


A arte não tem equivalente exato nas antigas línguas européias, que são muito complexas em sua terminologia. Então, nada melhor do que recorrer ao seu significado etimológico. A palavra "arte" deriva do latim ars − talento, saber fazer. Alguns filósofos isolam determinadas características encontradas em todas as artes e a percebem, sob o olhar da ciência da arte, na estética e na metafísica. Platão, por exemplo, percebeu uma distinção entre Arte e Ciência.


Arte, para Platão, é o raciocínio, como a própria filosofia no seu grau mais alto, isto é, a dialética. Arte é tudo, é todo e qualquer conhecimento. É a poesia, embora a esta seja indispensável uma inspiração delirante. É política, guerra, medicina. Arte é re…

Desenho - seu uso e significado na arte contemporânea (parte 1)

Imagem
Hábito de ler está além dos livros, diz o historiador francês Roger Chartier
O historiador francês Roger Chartier esteve no Brasil para participar do 2º Colóquio Internacional de Estudos Linguísticos e Literários, realizado pela Universidade Estadual de Maringá (UEM).
Um dos maiores especialistas em leitura do mundo, o francês Roger Chartier destaca que o hábito de ler está muito além dos livros impressos e defende que os governos têm papel importante na promoção de uma sociedade mais leitora. O historiador esteve no Brasil para participar do 2º Colóquio Internacional de Estudos Linguísticos e Literários, realizado pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Em entrevista à Agência Brasil, o professor e historiador avaliou que os meios digitais ampliam as possibilidades de leitura, mas ressaltou que parte da sociedade ainda está excluída dessa realidade. “O analfabetismo pode ser o radical, o funcional ou o digital”, disse.
Agência Brasil: Uma pesquisa divulgada recentemente…

Maria Dapaz - Coração de Beija-Flor (CD Meu Lugar)

Imagem

"No More Lonely Nights" by Paul McCartney

Imagem

A Participação das mulheres nas lutas pela independência da América Latina.

A historiografia oficial produzida no século XIX e começo do XX, deu visibilidade apenas aos homens como personagens principais das lutas pela independência, encontra-se outra literatura  - obras de uma série de autores menos valorizados que escreveram biografias sobre heroinas desse movimento. Existe um repertório composto por livros sobre "mulhreres célebres",  "mulhres patrióticas", "mulheres ilustres", que devia servir como lição moral para  as jovens e que, muitas vezes, eram leitoras obrigatrórias nas escolas. É possível descobrir muita coisa sobre a participação das mulheres que lutaram pela independência da América Latina. Outros textos interessantes são narrativas romanceadas sobre a vida dessas mulheres, que oferecem o mesmo estilo tradicional e as mesmas finalidades patrióticas.
A historiografia contemporânea nem seria preciso afirmar - encontrou outros caminhos teóricos e metodológicos para trabalhar seus objetos de pesquisa.  O caso da história …

EVENTO SOBRE HISTÓRIA ANTIGA.

Imagem

ARTE RUPESTRE É MAIS ANTIGA DO QUE SE PENSAVA.

Imagem
Nos últimos anos, vários estudos têm contribuído para desmitificar a ideia de que o 'homo neanderthalensis' (ou homem de Neandertal) seria menos sofisticado em relação ao seu primo mais próximo, o homo sapiens, ou seja, o ser humano moderno.

O arqueólogo português João Zilhão, um dos maiores especialistas mundiais no tema, participa num estudo, que faz hoje a capa da «Science», onde se apresentam evidências de que as mais antigas pinturas rupestres da Europa têm mais de 40 mil anos. Sugere-se, assim, que poderão ter sido realizadas por ...


Veja toda matéria no link abaixo.
Arte rupestre é mais antiga do que se pensava

ANTONIETTA BRANDEIS - 1849 - 1910

Imagem
BIOGRAFIA

Antonietta Brandeis nasceu em Miskowiz, Áustria em 1849. Estudou com Karel Jawrek em Praga antes de ir pra Vaneza para se tornar uma aluna na Academia. O desenvolvimento do turismo internacional no século XIX significou que muitas pessoas estavam viajando para os pontos de beleza da Europa. Veneza  era um destino muito popular para esses viajantes e a demanda por pintura de Veneza cresceu, resultando um influxo de artistas onde sugiu daí grandes vistas topográficas da cidade e seus arredores. A forte presença de pintores da Áustria foi surpreendente tendo em conta o fato de  que Veneza estava sob o domínio austríaco durante parte do século. Brandeis pintou os famosos marcos, detalhes e capturou a luz e vitalidade que é a essência de Veneza

Fonte - Wikipedia


FUI DE FÉRIAS...

Imagem
A autora deste blog encontra-se de férias por tempo indeterminado.