sexta-feira, 18 de abril de 2014

Intervenções Contemporâneas em Obras Históricas.


A noção de intervenção é empregada, no campo das artes, com múltiplos sentidos, não havendo uma única definição para o termo.
Como prática artística no espaço urbano, a intervenção pode ser considerada  uma vertente da arte urbana, ambiental ou pública, direcionada a interferir sobre dada situação para promover alguma transformação, ou sensorial.

Em meados de 1960 ocorreram grandes mudanças comportamentais na sociedade, transformações que também influenciaram radicais alterações no campo da arte, a linguagem da intervenção urbana entrou em voga nos circuitos das artes visuais.

Tanto a revitalização como a reciclagem equivalem a uma modificação, maior ou menor, na forma arquitetônica de uma obra histórica, isto é, ambas interferem parcial ou totalmente na aparência estética da obra.
A harmonização entre o antigo e o novo pode passar por vários níveis. Segundo BROLIN ( 1984). Em termos gerais, uma reforma apresenta três graus de interferência no projeto original que são: RADICAL, EQUILIBRADO E SUTIL.





Espanha, Convento de São Francisco, construído no começo do século XVIII. A intervenção consolidou a Igreja mas não apagou seu processo de deterioração do prédio durante todo tempo.
A intervenção preserva o patrimônio histórico do edifício é, simultaneamente adiciona a ele valores que destaca a Igreja antiga de um modo contemporâneo.







Gloud Gate, Chicago: o "feijão", de Anish Kapoor, curiosa releitura do conceito de arte pública e de paisagem urbana.



A grande pirâmide do Louvre, arquiteto Leon Ming Pei. Intervenção de Michelangelo Pistoletto na Pirâmide. 

Fontes Itaú cultural.

sábado, 23 de novembro de 2013

PLANO DE AULA - MICRO AULA


INSTITUIÇÃO: Universidade Vale do Acarú- Uva - Unavida

CURSO: Licenciatura em História

CARGA HORÁRIA: 1 hora/aula

PROFESSORA: Alaila Resende



TEMA DA AULA: A Arte na Pré-História                                                                                 

                                                                                                    PERÍODO: 2013.1



HABILIDADES:


  •   Utilizar as linguagens como meio de comunicação, expressão e reconhecer, valorizar o patrimônio Histórico e artístico


OBJETIVO GERAL:

  • Identificar o conceito de arte e a sua importância na História


ESPECÍFICOS

  • Reconhecer a chamada arte rupestre e desmistificar alguns conceitos sobre ela.
  • Analisar a evolução
  • Reconhecer e interpretar uma pintura rupestre
CONTEÚDOS
  • Definição de arte
  • Pré-História
  • Pinturas Rupestres
  • Sítios Arqueológicos
METODOLOGIAS
  • aula expositiva e dialogada
  • Apreciação de imagens
RECURSOS
  • Computador
  • Blogspot.com
  • Imagens
AVALIAÇÃO:
  • Participação na aula dialogadas
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
  • .www.fumdham.org.br/

www.itaucultural.org.br/arqueologia/pt/tempo/capivara/index.html

ANEXOS
  • Material utilizado ( texto, gravuras, filmes stc.)
  • Atividades ( exercícios, estudo dirigido etc. )
  • Proposta de avaliação.


PINTURAS RUPESTRES

Serra da Capivara - Pi
Um dos períodos mais fascinante da história humana é sem dúvida o da pré-história. Esse período não foi registrado por nenhum documento escrito, pois é exatamente a época anterior à escrita, tudo o que sabemos dos homens que viveram nesse tempo é resultado de pesquisa de antropólogo, historiadores e arqueólogos que reconstruíram a cultura do homem.


O QUE SÃO?
- As mais antigas representações pictóricas que se conhecem. As primeiras foram realizadas pelo homem pré-histórico do paleolítico superior.

"Obs" Paleolítico Superior, final do paleolítico médio, início do mesolítico, nele foram encontrados anzóis primitivos, machados de mão, é caracterizado pela arte rupestre. Nele também ocorreu a grande divisão do trabalho por sexo dentro das comunidades, o homem ficava responsável pela proteção da família e a mulher encarregada de criar os filhos e cuidar da habitação.





Toca do Salitre - Serra da Capivara - PI


Sítio Furna do Caboclo - Seridó - RN






QUE MATERIAIS UTILIZAVAM?

-Sangue de animais
- Clara de ovo
- Excrementos de animais.
- Argila
- Carvão
- Pó de rochas, oxido de ferro

Um procedimento particular usado no conjunto das figuras no Brasil é a técnica do soprado. Consiste em projetar a tinta seca ou liquida sobre a parede, cuspindo-a diretamente ou através de soprado que pode ser preparado com um segmento de osso largo, isso permite obter traços pontuados ou lineares com certo aspectos vaporoso, ( mãos negativas)




Arte mãos ao negativo e positivo







O QUE REPRESENTAM?

- Cenas do cotidiano
- Animais selvagens: bisonte, cavalos, veados...
- Mãos humanas
- Figuras humanas
- Forma geométrica
- Motivos abstratos


Toca do boqueirão - Serra da Capivara - PI



Serra da Capivara

Baixão da vaca - Serra da capivara - PI
UMA PRIMEIRA FORMA DE ARTE?

- Sim, porque?
- Os desenhos são uma forma de arte de comunicação ou desejo de expressão de sentimento religioso.
- Há cenas com grande realismo, utilizando já algumas técnicas de pintura com várias cores e tons.








QUAL A SUA INTENÇÃO?

- Permanecer na dúvida:
- Será que os caçadores pretendia obter magicamente sucesso nas cavernas?
- Será que veneravam os animais que representavam como símbolos da força e da fecundidade?

O Brasil é um grande museu natural com um dos mais extensos conjuntos de arte rupestre do mundo. Marcas deixadas em rochas há cerca de 40 mil anos fazem parte deste patrimônio frágil. Segundo informações de pesquisa, nossas pinturas milenares estão sendo depredadas por pichações, fogueiras e cartazes de propaganda politica, temos um exemplo bem próximo aqui na Paraíba:

-
Pedra do Ingá - PB




No oeste da Paraíba, a 46 km de Campina Grande e a 109 km de João Pessoa, localiza-se o primeiro monumento arqueológico tombado como patrimônio nacional em 1944: a pedra do Ingá. Identificado pelos arqueólogos como "itaquatiara", o que em tupi-guarani significa "pedra pintada", o bloco rochoso possui desenhos esculpidos em baixo-relevo que aguçam o imaginário dos místicos e despertam a curiosidade até dos mais céticos.
São exclusivamentes sítios gravados nas imediações dos rios, e particularmente de cachoeiras onde aproveitam o afloramento de rochas. Muito  dos blocos gravados costuma, ser submersos pelas enchentes, fato este certamente desejado pelos autores autores pré-históricos.                         ( Prous, 1992)

ONDE PODEMOS ENCONTRAR?


-  França, Espanha, Brasil...



Serra da Capivara - PI




Sítio Altamira - Espanha


Lascaux - Cavalo 15000 - 10000 ac - Bisonte


No Brasil existem três estilos predominantes na arte rupestre:
- Os traços geométricos per tecem a tradição agreste.
- As figuras humanas são a marca da tradição Nordeste.
- As gravuras na pedra formam a tradição Itacoatiara. 

Fontes:


FUMDHAM - Pinturas rupestres


Lascaux

www.lascaux.culture.fr

PROENÇA, Graça. Descobrindo a história da arte: livro do professor/Graça Proença. São Paulo: Ática, 2005.











quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Fliporto 2013 - Grande Festa Literária - Olinda - Pe




De 14 a 17 de novembro a Praça do Carmo - Patrimônio Mundial da Cultura, vai se transformar na Capital Nacional da Literatura,, considerada uma das três melhores festa Literária internacional do Brasil.
O evento terá grandes nomes da cultura nacional e internacional, abertura ficará por conta da jornalista espanhola Pilar Del Rio, viúva de José Saramago, o jornalista Laurentino Gomes autor de "1808"




Neste ano, a Fliporto homenageará o paraibano José Lins do Rego, autor de clássico como "Menino de Engenho 1932", Riacho Doce - 1939.
Pesou também sobre Lins do Rego, a influencia de Gilberto Freyre, cujo " manifesto regionalista", de 1926, propugnava por uma arte voltada para as questões específicas da sociedade nordestina. No prefácio da "Usina" o próprio Lins do Rego delimitou o ciclo da cana-de-açúcar. 
"A história desses livros é bem simples: comecei querendo apenas escrever umas memórias que fossem as de todas os meninos criados nas casas-grande dos engenhos nordestino.
Seria apenas um pedaço da vida o que eu queria contar. Sucede, porém, que romancista é muitas vezes o instrumento apenas de forças que acham escondidas no seu interior. 




Acompanhe a programação completa de todos os polos no site oficial da Fliporto.
Praça do Carmo de Olinda 



sexta-feira, 1 de novembro de 2013

A Capital das Ruas Enfeitadas!





Com muita satisfação abro espaço mas uma vez em meu blog para divulgar um evento de grande qualidade, tenho grande admiração pela organização e trabalho que unifica uma Aldeia em sua mais completa realização.

As reuniões já se iniciaram, a comunidade se organiza para traduzir em flores, Pereiro de Mação. A Capital das Ruas Enfeitadas se encontra em contagem regressiva para receber seus mas ilustres visitantes, mostrando o que de melhor tem para oferecer.
Flores...muitas flores acompanhado de muitas alegrias, elas são capazes de traduzir tamanha gratidão por um trabalho social extraordinário.

Salve Pereiro de Marção! 
Realização: 26 a 31 de agosto de 2014
Aldeia de Pereiro de Marção / Portugal
Quem estiver por lá não percam!


sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Baús...grande fascínio com Louis Vuitton.

Milhares de baús foram produzidos à mão pela o Luois Vuitton, desde do século 19. Cada um possui sua história, alguns hoje estão em museus, outros ainda viajando pelo mundo.
Jovem aprendiz de coifreiro que, a partir de 1859, era convocado ao Palácio de Tulherias para empacotar a bagagem da imperatriz Eugenia, esposa do imperador francês Napoleão III, essa pessoa era o jovem Louis Vuitton, filho de marceneiro, nascido na Suíça e criado em Paris. Tudo começou pela vontade nata que tinha em embalar as coisas de quem viajava de um jeito mais inteligente, criando seu próprio material e usando sua ferramenta que era seu apuro artesanal singular, rendeu criações que enlouquecia ricos e nobres da época.
Mas que uma marca, LV é uma "Lenda Viva", conta-se que os baús de LV que estavam a bordo de Titanic foram encontrados em perfeito estado de conservação, tendo preservado, inclusive seu conteúdo.
A beleza da marca está na história que carrega, na dedicação com que trata seus produtos e o carinho dispensados aos clientes.
Louis Vuitton desenvolveu um tecido resistente, uma espécie de lona que substituiu o couro, revestiu os cantos dos baús com ponteiras de metal, tornando-os mais resistentes,. Mesmo depois da abertura da oficina, LV continuou produzindo encomendas de produtos exclusivos e únicos, a exemplo do baú que virava cama criado especialmente para atender a solicitação do explorador europeu Pierre de Brazz.
Em 1888 com o intuito de acabar com as imitações, é criada uma nova "impressão" DAMIER, em marrom e bege é a mais antiga marca, foram criadas várias outras marcas em homenagem a LV, que faleceu em Paris no dia 27 de fevereiro de 1892,  sua marca e estampa permanecem  até hoje nas bolças, malas, baús...

Baú cama


Baú estante de Ernest  Hemingway -1923




Baú  guarda boneca















Exposição em Paris





Baú correspondência Poul Poiret - 1910







Fonte net
Alaila Resende

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

STONEHENGE E SEUS MISTÉRIOS








Como foi construído:

Os maciços arcos de pedra da Planície de Salisbury aguardam o nascer do sol fazendo, dia após dia, há 4 mil anos. Erguem-se em silêncio vigilante, a cor escura em contraste com o céu cinzento.
Stonehenge pode ser a maior maravilha do mundo pré-histórico. Com certeza, é um de seus maiores mistérios. O círculo foi deliberadamente alinhado com o nascer do sol do solstício de verão, o  amanhecer do dia mais longo do ano. Como poderiam os Inícions primitivos ter colocado aqueles gigantescos blocos de pedra, pesando até 50 toneladas cada um, em suas atuais posições? E por que fizeram isso/

Na Idade Média, o monumento de Stonehenge era explicado pelo poder da magia: Merlin, o mago da corte do Rei Arthur, invocava as forças das enormes pedras da Irlanda. No século 19, as pessoas estavam presas à ideia dos druidas, sem atentar para o fato de que aqueles antigos sacerdotes celtas faziam os cultos em bosques de carvalhos sagrados, e não em templos de pedra. Sarcedotes barbados em vestimentos brancas celebrando o solstício de verão em Stonehenge constituem sua imagem mais duradoura.
O astrônomo Sir Fred Hoyle declarou que Stonehenge é um computador pré-histórico, programado para prever os eclipses do sol e da lua.

Ninguém sabe extamente o que é Stonehenge. No entanto temos conhecimento de quando foi construído - e como. Recente estudo feito pela Associação Arqueológica de Wessex resolve as discussões sobre a idade de Stonehenge. Tudo começou logo após o ano 3000 a.C, numa área circular delimitada por pequena encosta com grande fosso externo com grande fosso.  " No ano 2600 a.C, enormes pedras retangulares foram trazidas das Montanhas Preseli, situadas a cerca de 217 quilômetros dali", diz Andrew Lawson, diretor da Associação.

O Anel externo e a arcada interna foram feitos de blocos de arenito provenientes das PlaníciesMarIborough, situadas 40 quilônmetros ao norte. Os maiores dolmens da arcada interna, chamados de trilithons, são construídos por dois pilares denominados megálitos e uma pedra colocada sobre o topo. Os megálitos tem aproximadamente sete metros de altura e pesam até 50 toneladas. Acredita-se que foram construídos por vbolta do ano 2400 a.C.
Quando prepararam as pedras, os criadores de Stonehenge fizeram pequena elevação no meio das colunas, técnica que na Grécia, 1.500 anos mais tarde, seria chamada de êntase. Contrariando o efeito de distorção da paisagem, a êntase faz a aresta de uma coluna parecer perfeitamente reta.
Entretanto, a descoberta mais intrigante da Associação é que o tempo de construção de Stonehenge talvez tenha sido bem maior do que se imaginava: "O monumento poderia ser construído em uma geração, com potencial humano e gerenciamento ágil"

# Atualmente, o lugar é administrado pelo English Heritage, e como o número de visitantes é de cerca de 700.000 por ano, foram tomadas medidas mais rigorosas para garantir a preservação.

Fonte: Linha do Tempo
Alaila Resende