domingo, 31 de agosto de 2014

A Arte na História.






história da arte está relacionada à cultura dos mais variados povos existentes. Ela atravessa os tempos, criando e contando o passado e recriando o presente. A arte está presente a nossa volta e com ela compomos a história de uma sociedade. Cada objeto artístico apresenta uma finalidade. Desde a pré-história, o homem sempre criou elementos que o ajudassem a superar as suas necessidades e a vencer desafios. 

Existem objetos do homem que representam os seus sentimentos, algo que a utilidade pública muitas vezes não consegue questionar, somente considera a sua beleza. Eles são conhecidos como obra de arte. Elas fazem parte da cultura do povo e são capazes de ilustrar situações sociais ou não.

A arte pode ser definida como fruto da criação do homem e de seus valores junto a sociedade. Dentro dela existem vários procedimentos e técnicas utilizadas para compor uma obra.

Podemos identificá-las de todas as formas: arquitetura, música, cinema, teatro, dança, etc. Ela é uma necessidade que faz o homem se comunicar e refletir sobre as questões sociais e culturais dentro da sociedade.
 
Mas, será preciso estudar a história da arte, se ela está em tudo que existe? Por que ela é importante? Para responder a tais questões, é preciso estar disposto a aprender, a conhecer o mundo. Nela, aprendemos a refletir sobre as principais filosofias e os principais críticos da arte, assim como o estudo dos objetos artísticos e os diferentes contextos sociais. A partir daí, você estará apto para criar, criticar e entender os movimentos artísticos que surgem no decorrer dos anos.

Saiba que um artista não é só aquele que é criativo, mas aquele que cria objetos capazes de atender as necessidades e divulgar os seus pensamentos, assim como estimular outras pessoas e descobrir novas formas de fazer arte.

Nesse site, você descobrirá um pouco sobre o contexto histórico de cada movimento artístico que existiu, assim como a arquitetura, a escultura, a pintura e artes menores. Interaja nesse mundo artístico, navegue pela linha do tempo e descubra as manifestações artísticas que ocorreram ao longo da história.


Fonte: História da Arte / Itaú 

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

O Pereiro - Capital das Ruas Enfeitadas - 2014

Com uma longa tradição de enfeitar e colorir de flores suas ruas, Pereiro já se encontra pronto para iniciar sua grande festa em homenagem a Nossa Senhora da Saúde, com grande estilo e presenças marcantes de suas autoridades locais.

Tenho grande honra de postar e divulgar este magnífico acontecimento em meu blog, obrigada aos amigos de Pereiro pelo convite, espero poder em breve participar pessoalmente.
Grande abraço aos amigos de Pereiro de Mação.

















sexta-feira, 25 de abril de 2014

Magnificência de René Lalique

Se você é um aficionado de Art Nouveau e Art Decor, é difícil ignorar projetos notáveis de René Lalique. Lalique, em seu tempo foi reconhecido como um artista, designe, joalheiro, inovador, fabricante de vidro, industrialista e um visionário! Suas criações em joias eram vistas como revolucionários e ele foi um dos mais notáveis expoentes da Art Nouveu. Suia obra magistral em vidro e designe de jóias requintadas veio epitomize o estilo Art Nouveau e adornado com as mulheres mais exóticas de Paris.






                      Suzanne-estátua de vidro opalescente original bronze base iluminada, c. 1925

Nascido em Paris em 1860, foi aprendiz de um ourives parisiense, com a idade de 16 anos, enquanto simultaneamente estudava na Ecole Des Arts, entre 1878 e 1880, fez estagio em Londres. Regressado a Paris, iniciou a sua carreira  a trabalhar para grandes nomes do mundo da ourivesaria e joalheiria, ganhando fama na sociedade francesa.
Em 1885, Lalique adquiriu uma pequena oficina em Paris e produziu sua própria interpretação da jóia do estilo da Art Nouveau. Ele também produziu vidro de arte espacialmente na forma de vasos, que se tornou amplamente conhecido e notado. Em 1920 produziu também wares no estilo Art Decor.
Suas criações altamente imaginativas eram povoados por um magnífico mundo de seres fantásticos - dragões, serpentes, lírios, pavões, borboletas, orquídeas e mulheres simbolistas metamorfoseadas em libélulas. Lalique favoreceu o uso de ninfas e" Femme Fatales" com figuras voluptuosas em suas criações, revivendo um estilo que tinha sido negligenciado desde a Renascença.






























Fonte: Itaú Cultural.
c






sexta-feira, 18 de abril de 2014

Intervenções Contemporâneas em Obras Históricas.


A noção de intervenção é empregada, no campo das artes, com múltiplos sentidos, não havendo uma única definição para o termo.
Como prática artística no espaço urbano, a intervenção pode ser considerada  uma vertente da arte urbana, ambiental ou pública, direcionada a interferir sobre dada situação para promover alguma transformação, ou sensorial.

Em meados de 1960 ocorreram grandes mudanças comportamentais na sociedade, transformações que também influenciaram radicais alterações no campo da arte, a linguagem da intervenção urbana entrou em voga nos circuitos das artes visuais.

Tanto a revitalização como a reciclagem equivalem a uma modificação, maior ou menor, na forma arquitetônica de uma obra histórica, isto é, ambas interferem parcial ou totalmente na aparência estética da obra.
A harmonização entre o antigo e o novo pode passar por vários níveis. Segundo BROLIN ( 1984). Em termos gerais, uma reforma apresenta três graus de interferência no projeto original que são: RADICAL, EQUILIBRADO E SUTIL.










Espanha, Convento de São Francisco, construído no começo do século XVIII. A intervenção consolidou a Igreja mas não apagou seu processo de deterioração do prédio durante todo tempo.
A intervenção preserva o patrimônio histórico do edifício é, simultaneamente adiciona a ele valores que destaca a Igreja antiga de um modo contemporâneo.







Gloud Gate, Chicago: o "feijão", de Anish Kapoor, curiosa releitura do conceito de arte pública e de paisagem urbana.





A grande pirâmide do Louvre, arquiteto Leon Ming Pei. Intervenção de Michelangelo Pistoletto na Pirâmide. 

Fontes Itaú cultural.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

A Capital das Ruas Enfeitadas!





Com muita satisfação abro espaço mas uma vez em meu blog para divulgar um evento de grande qualidade, tenho grande admiração pela organização e trabalho que unifica uma Aldeia em sua mais completa realização.

As reuniões já se iniciaram, a comunidade se organiza para traduzir em flores, Pereiro de Mação. A Capital das Ruas Enfeitadas se encontra em contagem regressiva para receber seus mas ilustres visitantes, mostrando o que de melhor tem para oferecer.
Flores...muitas flores acompanhado de muitas alegrias, elas são capazes de traduzir tamanha gratidão por um trabalho social extraordinário.

Salve Pereiro de Marção! 
Realização: 26 a 31 de agosto de 2014
Aldeia de Pereiro de Marção / Portugal
Quem estiver por lá não percam!


sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Michelangelo, minha grande paixão.

Michelangelo nasceu em 6 de março de 1475 em Caprese, localidade  próxima à cidade Toscana de Arezzo, Itália e faleceu em Roma no dia 18 de fevereiro de 1564, aos 89 anos.
Foi um gigante. Pensador, deixou obra literária, em prosa e verso, considerado notável Arquiteto, foi criador da cúpula da Basílica de São Pedro. Do mármore tirou alma, espírito. Com tinta e pincel mostrou o momento em que Deus, estendendo a mão, cria Adão.


Considerado gênio. Prefiro  dizer que ele foi tocado pelo Divino ao nascer: é a única explicação. Amou a beleza e dela serviu para mostrar sua fé em Deus.


Pietá, foi esculpida quando estava com 22 a 23 anos.



"Virgem mãe, filha de teu filho", verso de Dante Alighieri.


Cristo, sem nenhuma das marcas da Paixão em seu corpo, tem o rosto sereno. A intenção de Michelangelo não foi representar a morte dolorosa e violenta, mas o reencontro tranquilo do filho com o pai à Vida Eterna.


Reparem o olhar de David. Em sua expressão. Em sua mão segurando a pedra. Lembremo-nos que isso é uma estátua esculpida em mármore, por um homem e não por um deus. Ou estarei enganada e esse rosto foi esculpida por Deus?



Comove saber que foi assim, mas ao mesmo tempo...vejam a figura de Moisés no mausoléu do papa Júlio II. Imagine o mundo sem ele...



Somos nós que olhamos de modo diverso a cada vez ou Michelangelo deu mesmo vida ao patriarca? A ponto de correr a lenda o Parla! - o escultor impressionado com o que fez dá com o sinzel num joelho da estátua e lhe manda que fale.
- Si non è vero, e non è vero, è bene trovato.

Revista história