CAÇADORES E COLETORES.

                                   Obeservando os !Kung.






Os !Kung vivem no norte do deserto de Kalahari ( fronteira entre Botswana e Namíbia) há no minimo 10 mil anos, com um sistema de vida inalterado há milênios, Rochard B. Lee estudou um grupo isolado do !Kung, numa área com 9 pontos de água habitada por cerca de 450 pessoas.

Os relatos das obeservações são surpreendentes e mostram sociedades muito mais sofisticada do que se imaginava.
Durante a estação úmida de verão, de outubro a maio, pequenos grupos de trinta pessoas, cerca de seis famílias, constroem seus acampamentos temporários junto aos bosques e se locomovem a cada três ou quatro semanas. Sua mobilidade, no dizer de Richard Lee, não é decorrente de qualquer ato de desespero, mas de simples conveniência: quanto mais permanecem num único local, maior será o percurso diário para coletar alimentos.

Nada é acidental: trinta pessoas é considerado um número ideal, nem tão pequeno que tire a  capacidade defensiva e de captação de alimentos, nem tão grande que impeça a subsistência de todos.
Nos meses de seca, inicia-se o período mais social dos grupos: três ou quatro deles congregam-se en torno de um ponto com água permanente e há uma intensa troca de presentes ( não se trata de comércio, nem mesmo de escambo), intercâmbio de experiências através de história contadas lado a lado, elaboração ou estreitamento de alianças e atividades que levam à formação de novos pares.

Há no grupo uma divisão  sexual das tarefas: as mulheres coletando, os homens caçando. Acredita-se que isso muito tenha a ver com a própria caracteristica da caça, que exige movimentos furtivos e silêncio total, incompatíveis com a presença de crianças barulhentas. Por isso, a mulher coleta e tem filhos, que ela amamenta até a vinda do seguinte, a cada três ou quatro anos. Esse espaçamento é idêntico ao de outros grupos coletores-caçadores ainda existentes no mundo e certamente tem relação com a nescessidade de transporte/locomoção das crianças. se o espaçamento fosse muito curto, a mobilidade do grupo ficaria prejudicada.

Vivendo em plena harmonia com seu meio ambiente, os !Kung interpretam-no acurada e mais meticulosamente do que qualquer pessoa de uma sociedade não forrageadora jamais chegará a fazê-lo.

Disciplina: História  Antiga
Turma: 196- IESP
Prof: Stênio Farias
Aluna: Alaila Resende da Costa

Fonte: PINSK, Jaime. 1994. As primeiras civilizações, São Paulo, Ed. Atual.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminismo: causas e características

Raça e Progresso - Franz Boas

Arte e Romantismo na Revolução Industrial