Pablo Picasso.

Sempre que a disciplina incluí biografia de algum mestre das artes, eu, como grande admiradora de seu trabalho por considerar umas das principais figuras da História das artes plásticas do século XX,  volto a Pablo Picasso, acho infinita a capacidade que teve para transformar momentos de vida, dificuldades pessoais em arte, passando por várias fases em que ele conota o comportamento em especial aos elementos marginalizados pela sociedade até chegar a fase em que sua caracteristica principal é a decomposição da realidade humana.

Picasso destacou-se em diversas áreas das artes plásticas: pintura, escultura, artes gráficas e cerâmica, a obra de Picasso se caracteriza pelo intenso dinamismo das mudanças de estilo e da busca incessante de novas formas e soluções. São traços comuns, no entanto, de todas as fases e experiências o dominio pleno ou virtuosístico - de todas as técnicas e materias: o humor sarcástico, voltado sempre para a deformação e a caricatura: e o próprio gosto de transformar as coisas como a si mesmo.

Picasso é antes de tudo o gênio das metamorfoses, virtuoso e comediante permeável às inquientações do momento, sem romper nunca a espinha dorsal de seu individualismo.
A incursão de Picasso no mundo da cerâmica começou em 1947, quando já estava com mais de 60 anos, e acabava de sair de seu exilo em Paris, após a Guerra. Vivendo no sul da França conheceu a fábrica Madoura, na cidade Vallauris, e lá se identificou com as tradições artísticas da argila.
Tamanho foi o envolvimento que Picasso nunca mais deixaria a cerâmica, embora fosse considerado por alguns como arte menor, ele a considerava um novo elemento para suas criações e uma abertura para ampliar os limites da pintura e da escultura.

Trabalhou formas convencionais, como pratos, jarros, azulejos e caçarolas, e com formas criadas especialmente, através de metamorfoses moldadas durante a queima com a argila maleável.
A cerâmica deu a ele a chance de subverter as dimensões do espaço, tornando plano o que era curvo, explorando a estrutura de uma marterial fluente. Como os deuses do antigo Olimpo, Picasso queria mudar a forma das coisas para seduzir e eternizar os seres mortais - e ele sabia que eram as cerâmicas da Grécia clássica o que havia perdurado no tempo, e não suas pinturas.
A ligação Picasso e Madoura ( Suzanne e Geioges Ramié) durou 26 anos e muitas magníficas peças.
Gênio Picasso.

Fonte; Biografia de Pablo Picasso.
















Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminismo: causas e características

Raça e Progresso - Franz Boas

Arte e Romantismo na Revolução Industrial