CIVILIZAÇÕES ASTECAS E INCAS

Civilização  Astecas






                                              


A última civilização a se desenvolver antes da chegada dos colonizadores, foi a civilização Asteca, entre os meados dos séc. XIV e XVI. Contribuíram para a arquitetura do ponto de vista urbanístico, criando a cidade de Tenochtitlán (atual Cidade do México), situada próxima a ilha do lago Texcoco, de forma bem organizada. Os astecas ergueram grandes pirâmides, templos e luxuosos palácios. Eram também politeístas como os Maias, e também acreditavam no ritual de sacrifícios humanos para deixar os deuses mais tranquilos.

Baseada em uma forte tradição militarista os Astecas possuíam uma organização social vinculada pela posição política e econômica reservada a cada um dos seus membros. O Estado era chefiado por um imperador que contava com o apoio de funcionários na administração das terras e construção do império.

Na hierarquia social estavam os nobres, sacerdotes e os militares, em seguida estavam comerciantes e artesões, admirados por dominar complexas técnicas, como ourivesaria, controlavam uma parte significativa da economia  Asteca.

A grande parcela da população era composta por camponeses, estes seguiam as orientações do Estado no cultivo das terras, cada camponês recebia ao se casar um lote de terra que devia ser administrado por ele.
Em troca de serviço prestado, recebiam alimentos e vestimentas e seus filhos tinham direito de frequentar as instituições de ensino do governo.
Abaixo da escala social estavam os escravos, que de acordo com as condições que usufruíam, poderiam ascender socialmente.

A população organizada sobre domínio Asteca, marcou a existência de uma das mais complexas sociedade da América pré-colombiana, a organização sociopolítica Asteca fazia frente e, em certos casos, ultrapassavam as dimensões dos centros urbanos da Europa do século XVI, colonizadores ao chegarem na região fizeram relatos sobre a riqueza do povo Asteca.



                                                             Civilização Inca





   


O Império Inca teve origem nas planícies andinas do Peru. No século XVI, estendeu-se até o antigo reino Quito e grande parte da atual Bolívia e Chile. O Peru era habitado por tribos aimaras, quíchuas e yuncas. A partir do século XI, os incas, de língua quíchua, começaram a dominar as demais tribos e, no século XIII, construíram um grande império. A lenda atribui sua fundação a Mano Capa e a Mama-Ocilo, sua irmã e esposa. A dinastia inca impôs uma severa organização hierárquica. Sua capital ficava em Cuzco, no Peru.


Os edifícios incas se caracterizam pela monumentalidade e sobriedade. Suas cidades eram verdadeiras fortalezas, construídas com grandes muralhas de pedra. Os incas eram mestres em cortar e unir grandes blocos de pedra: a cidade-fortaleza de Machu Picchu foi descoberta em 1911, no topo de uma montanha de 2.400 m de altura, numa região inacessível da cordilheira dos andes. Outras construções incas importantes ficam em Cuzco e Pisac.






                                         






A organização social inca era muito hierarquizada. No topo estava o inca (filho do sol), que era o imperador, depois a alta aristocracia, à qual pertenciam os sacerdotes, burocratas e os curacas (cobradores de impostos, chefes locais, juízes e comandantes militares): camadas médias, artesãos e demais militares: e finalmente camponeses e escravos. Os camponeses eram recrutados para  lutar no exército, realizar tarefes da colheita ou trabalhar na construção das cidades, segundo a vontade do Inca. A família patriarcal era a base da sociedade, mas até os casamentos dependiam de autoridade máxima. O sistema penal era rígido e o sistema político extremamente despótico.

Fontes;
JOSÉ JOBSON DE A. ARRUDA E NELSON PILLETTI.
TODA HISTÓRIA - HISTÓRIA DO BRASIL E HISTÓRIA GERAL, EDITORA ÁTICA, SÃO PAULO, 2002.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminismo: causas e características

Raça e Progresso - Franz Boas

Arte e Romantismo na Revolução Industrial