SERRA DA BARRIGA - SÍTIO ARQUEOLÓGICO DO QUILOMBO DOS PALMARES .




Um dos mais importante sítios arqueologicos de Alagoas, a famosa Serra da Barriga, palco de luta por liberdade de Zumbi e seus guerreiros negros.
Localizada na Zona da Mata alagoana na atual cidade de União dos Palmares há 92 km de Maceió, nas margens do Rio Mundaú, no Planalto da Borborema, a Serra da Barriga  foi  berço de liberdade de milhares de guerreiros quilombolas sublevados e determinados a viverem uma nova forma de vida, totalmente diferente do que queriam seus opressores como povo escravisado e sem dignidade humana.
Os trabalhos arqueológicos sobre Palmares iniciaram-se e, 1992, com a primeira expedição arqueológica ao quilombo. A leitura dos artefactos pertecentes ao cotidiano quilombola, junto à leitura das fontes escritas, começou a sustentar outras hipoteses e indagações sobre o momento palmarino, abrindo um enorme leque de possibilidades para os estudos quilombolas.

                                         FATOS HISTÓRICOS
- 1694
A Cerca real foi destruída em 6 de fevereiro, após dois anos de intenso combate com os inimigos, que surpreenderam os quilombolas usando seis canhões, tipo de armamento pouco conhecido pelos palmarinos.

- 1980
Em agosto deste ano, militantes do movimento negro local e nacional subiram a serra pela priemira vez. Tal iniciativa transformou a história até os tempos de hoje. Um passo importante foi a criação do Memorial Zumbi, que tinha como objetivo primordial, recuperar a história do Quilombo dos Palmares e transformá-la em marco de luta no seio da comunidade  Negra Brasileia.

- 1985
Em novembro a Serra da Barriga é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico - Artístico - Nacional - IPHAN

- 1988
Foi conhecida como Monumento Nacional através do Decreto 95. 855

- 2006
O projeto Parque Memorial Quilombo dos Palmeres, que ao ser acatado pelo Ministério da Cultura, Fundação Cultural Palmares, Governo do Estado de Alagoas e Prefeitura Municípal de União dos Palmares, comtemplou-se em forma de patrocínio pela Petrobrás e Ministério do Turismo, em maio deste  mesmo ano foi  aberto  o Parque Memorial Quilombo dos Palmares.

Falar que o Quilombo dos Palmares foi uma formação politica social formada por escravos, índios e talvez alguns brancos, é algo  normal, que independe de estudar arqueologia, mas muito se perdeu em documentação e várias novas informações sobre Palmares, como no caso da pesquisa de campo retratada por Pedro Paulo Funari ( FUNARI in REIS & GOMES, 1996,  p 26), já  nos mostra um novo panorama sobre o Quilombo.
O Projeto Arqueológico Palmares foi criado afim (1991) de estudar o quilombo através da arqueologia histórica, a primeira etapa das escavações foi concentrada na área considerada como a  capital do quilombo, a Serra da Barriga.

Dos 14 sítios arqueológicos escavados na  Serra da Barriga tiveram resultado bastante significativos, encontrados uma grande quantidade de cerâmica indígena que Funari concluiu sugerir que "uma mescla cultural no assentamento quilombola devia ser, a exemplo de outros casos, muito intensos" ( FUNARI in REIS & GOMES, 1996, p 46).

"Mas que confirmar a história, porém, nossa esperança é desvendar a vida dos palmarinos", garante Pedro Paulo Funari. "Saber extamente como eram as casa, as aldeia, os objetos que usavam no dia-dia. Se conseguirmos desenterrar a cultura dessa sociedade, que desafiou durante tanto tempo o sistema colonial escravista, talvez finalmente se conheça um pouco da versão dos vencidos. "Uma história que há quatro séculos tem sido vista apenas através dos documentos deixados pelos vencedores.

Bibliográfia - FUNARI, P. P. A. A "REPÚBLICA DE PALMARES" e a arqueologia da Serra da Barriga.

Comentários

  1. Oi Alaila,

    Gostei da postagem, já tinha lido sobre a Serra da Barriga não sei onde, mas enfim... Acho (cá p'ra nós) que não estava nos planos dos militantes do movimento negro ter cerâmica indígena no contexto arqueológico (não me leve a sério, faço piada por qualquer coisa), mas trabalhar com arqueologia é isso, ir passando as páginas do tempo e ir revelando camada por camada do passado.


    Gostei da nova cara do blog. Um forte abraço.

    Greciane Neres
    www.arqueologiaeimagem.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Greciane,

      Pois é menina, pesquisando pra o seminário sobre arqueologia na Serra da Barriga, e no contexto estar O Quilombo dos Palmares, fiquei surpresa com esse achado de cerâmica indígenas no quilombo, mas tem muitas eplicações, Segundo Funari, foi uma mescla cultural de assentamento.
      Obrigada pelo o elogio, Abraço.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminismo: causas e características

Raça e Progresso - Franz Boas

Arte e Romantismo na Revolução Industrial