O SABER HISTÓRICO

" O saber deve ser como rio, cujas águas doces, grossas, copiosas, transbordem do indivíduo, e se espraiem, estacando a sede dos outros"

Gilberto Freyre





O professor de História preocupa-se em exteriorizar-se o que sabe, explicando o seu pensamento a  sua emoção. Ao mesmo tempo vive a insegurança em relação a juventude e a defasagem de sua formação e o aceleramento de novos estudos e pesquisas de conhecimento  históricos.

As aulas, espetáculos cheios de vidas, a relação pedagógica é diferente  das puramente afetivas, comporta uma dose igual de apego, admiração e despreendimento, o professor de História pode ensinar a saber-fazer, lançar germes do histórico, captar e valorizar diversidade, levantar problemas e reintrega-los num conjunto de outros problemas procurando transformar temas em problematicas, dando condições para que o aluno possa participar do processo do fazer, do construir a História.

O conhecimento do professor pode oferecer a seu aluno a apropriação de conhecimentos, atráves de um esforço e de atividades que edificou esse conhecimento.
A sala de aula é um espaço onde se transmite informação e onde interlocutores constroem sentidos impregnando tensões, relação teórica e prática, ensino e pesquisa.

A ánalise causal possibilita aos alunos compreenção de que os acontecimenos históricos enudem relações de pessoas e caracteristicas  diferentes quando diferem em sua realização.
Tradicionalmente, o uso de fontes, documentos tem destacados, exemplificado, descrito e tornado inteligível o que o professor fala. 

A partir das renovações teóricas-metodologicas, o uso escolar do documento passou a estimular a observação do aluno, ajudando a refletir, passando a  analisá-lo, observá-lo e descrevendo-o, introduzindo assim o método histórico que se escreve. Ainda diferenciando fontes ou documentos com a finalidade de transmitir conteúdos do saber disciplinar como textos e filmes, com finalidade didática como suporte informativos, descritivos, analiticos ou sintéticos, com a inteção de comunicar elementos do saber disciplinar.

Passando pelas inovações tecnológicas, que tem sido usadas como técnicas de ensino, estrategias para prencher ausência do professor como recurso que tornaria a aula menos enfadonha, já que a inovação não é um produto, e sim um processo, atitude, uma maneira de ser e estar na educação. O desafio na sala de aula, é que a educação histórica, hoje deve levar os educanado a adquirir capacidade de ánalisar, interferir e interpretar acerca da sociedade atual, olhar pra si e ao redor com olhos históricos, resgatando o conjunto de lutas, anseios, frustações, sonhos e a vida cotidiana de cada um, no presente e no passado.

Fonte de pesquisa; BITTENCOURT. Circe ( Org) Editora PINSKY. São Paulo.
O saber histórico na sala de aula





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminismo: causas e características

Arte e Romantismo na Revolução Industrial

Raça e Progresso - Franz Boas