A arte a história e os objetos...


Tradicionalmente, algumas correntes historiográficas consideraram, não sem
uma certa dose de ingenuidade, essas representações como reflexo da sociedade que as
produziu. A idéia era quase sempre a de que os objetos culturais funcionariam como um
certo “espelho do tempo” refletindo a sociedade e o pensamento dos homens que as
criaram. 
Falando em arte, história e objetos, temos como objetivo situar a vertente da cultura francesa investigando a relação entre si, considerando os objetos culturais como um rico e sofisticado instrumento de representações que contribuí para a identificação de sentidos, formas de olhar e ver a realidade.

É certo que a História cultural, social da cultura e a história dos objetos culturais vêm mobilizar a atenção dos historiadores brasileiros nos últimos anos, exemplificando uma tendencia, uma versão tropical que se identifica com os países europeus e Estado Unidos.

Mas será que os historiadores “falam da mesma coisa” quando se referem à
cultura? Será que eles se entendem quando afirmam estar “fazendo história cultural”?
Que conceito de cultura e de objetos culturais está por trás de cada uma das análises
propostas pelos historiadores? 

 Assim, poderíamos afirmar que é justamente nas múltiplas relações que os historiadores estabelecem com outras disciplinas como a antropologia, a sociologia, a teoria literária, a lingüística, etc, que se estruturam e organizam os conceitos de cultura e objetos culturais com os quais os historiadores produzem suas narrativas. Essa afirmação poderia então nos fazer supor que haveria tantas definições quantos fossem os encontros com outras disciplinas e tanta abordagens quantos fossem os métodos tomados de empréstimo.

Embora não considere que essa última frase refira-se a uma situação de todo falsa, creio que há pontos de encontro entre as múltiplas interpretações historiográficas elaboradas pelos historiadores na última década, na qual se acredita, houve, justamente, uma (re)descoberta dos estudos culturais. 

Uma das questões postas pelos historiadores e que se tornou, na verdade, um
desafio a ser encarado, é a compreensão das representações do real elaboradas pelos
homens, ao longo do tempo, em sua experiência histórica. As imagens figurativas,
documentos, discursos poéticos, textos literários, lendas, se oferecem ao historiador
como as únicas possibilidades de acesso a um passado definitivamente perdido. Essas
representações são a porta de entrada para um país estrangeiro,um mundo outro que se
busca descobrir e conhecer.

Algumas imagens representativas de objetos de arte ocorridos em seu determinado tempo...


















Fonte: .wikipedia.org/wiki/Arte











Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminismo: causas e características

Raça e Progresso - Franz Boas

Arte e Romantismo na Revolução Industrial