quarta-feira, 2 de novembro de 2011

MUSEU ARQUEOLÓGICO DO XINGÓ - MAX - SERGIPE

                                         


Por volta de 1985, pesquisadores da Universidade Federal de Sergipe identificaram, na região da cidade de Canidé do São francisco ( a 200km de Alagoas) vestígios que indicavam a presença humana pré-histórica na região.  Na dêcada seguinte seria construída no local a Usina Hidrelétrica de Xingó.
Para proteger esse patrimônio, situado na área que provalvemente seria imundada com a construção da represa, foi lançado um grande projeto de salvamento arqueológico, que durou 10 anos.

Foram descobertos 42 sítios arqueológicos e 16 sendo de arte rupestre apenas na região do baixo São Francisco, testemunho de 9.000 mil anos de ocupação humana.


Com todo esse acervo reunido, em 2000 a UFS criou o Museu Arqueológico do Xingó ( MAX). São cerca de 55 mil peças, entre vestígios cerâmicos, instrumentos líticos, adornos em osso, restos alimentares e mais de 200 esqueletos humanos.

Com todo esse acrevo reunido, em 2000 a UFS criou o Museu Arqueológico do Xingó (MAX). São cerca de 55 mil peças, entre vestígios cerâmicos, instrumentos lític   Ffotosvvvvotos do Museuos, adornos em osso, restos alimentares e mais de 200 esqueletos humanos.



O MAX mantém uma exposição permanente, apresentando destaque de seu acervo e os principais resultados de pesquisas realizadas pela instituição.


Fonte: Revista Histórica Viva.

2 comentários:

  1. oi bom dia, sou guia de turismo na região xingó, sou ator e costumo acompanhar os visitante estado eu caracterizado de cangaceiro, faço apresentações culturais para os grupos que acompanho, usina de xingó, centro histórico de piranhas, museu max, trilhas, catamarã e muito mais, velha conhecer nossa região, você vai adorar, me ligue 082 88281197, meu email. fabioxingo@hotmail.com e meu facebook, fabio moura da cidade de piranhas-al

    ResponderExcluir
  2. Oi Fábio, legal e muito interessante todas estas atividades que são praticadas na região, assim que puder irei conhecer pessoalmente.
    Obrigado por visitar o blog.
    Alaila Resende

    ResponderExcluir