História Contemporâneo


                                Conforme o presente que vive os historiadores, são as perguntas que eles fazem ao passado e diferente são as projeções de interesses, perspectivas e valores que eles lançam no passado. Eis porque a história é constantemente reescrita. Como diz o historiador Francês Braudel: " A História é filha de seu tempo" ( Borges. 1994, p.52).

A partir da citação anterior se pode dizer que é preciso conhecer o valor e o significado desses valores que o passado mostra para o então presente em questão, o mais próximo que este pareça. Mas a ligação da "história" com o futuro se parece à atribuição geral, tranquilizadora de um futuro a chegar, encontrar, repercutindo especulações tendenciosas do falar nele próprio, o futuro sutil.

A maneira de diagnosticar o presente ajudará a delinear as ações futuras. Esclarecendo os "como" e os "porquês" resultantes das ações humanas. A noção deste real, vinculado ao da realidade histórica procura manter como uma organização, ou seja,com níveis de uma caixa administrativa dos grupos e predomínios humanos. Detalhando seria a junção de fatos e dados coletados em pesquisa histórica para torna-se geral e esquemática. É sabido que cada momento é único, e que nunca se repete de uma forma igual. Mas sabe-se que os vestígios dessas realidades são imensas e que o trabalho para seleção destes, ultrapassa gerações.

Portanto, a interpretação dos fatos está ligado diretamente a uma teoria, teoria que explica os fatos visando uma realidade. E sabemos que a importância dessas teorias é imensa, uma vez que podemos contar um dado acontecimento histórico de vários formas, isso depende da manira como se está analisando os fatos, ou seja, como esta explicação, que é a teoria com seu conjunto apresenta a cada indivíduo demarca a forma de se apresentar ao mundo e sua realidade, ou seja, ligada a uma ideologia.

E esta é caracterizada por Engels - "como força matriz falsa ou aparente, depende  do processo conscientizador". Sobre isso, Chretien ( 1997) nos diz que:

Seja qual for o critério, em " história", tudo/quase tudo se mantém sob as vertentes, periodizar, isto é, organizar, detalhar - mais ainda estabelecer divisão acerca do período fundamentado. Mostrando a "história" como tradicional e imprópria.
Colocam-se este que estão ligados num trabalho de história ( Chretiem, 1997 citado Engels)

Revista Visão Acadêmica

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iluminismo: causas e características

Arte e Romantismo na Revolução Industrial

Raça e Progresso - Franz Boas